segunda-feira, 28 de janeiro de 2008

Histórias Infantis

Postado por Raylene Rêgo às 05:25 0 comentários Links para esta postagem
Quarta-feira, 28 de Novembro de 2007
Histórias Infantis
Aonde Está o Saci?
Arte: Rogério Doki/UOL
Nas antigas histórias do folclore brasileiro, as lendas permanecem vivas. Às vezes acreditamos que esses personagens existem mesmo e até sentimos um certo medo! Foi assim com os amigos Pimpão e Uga-Uga, que resolveram viajar pelo Brasil e conhecer mais de perto o nosso folclore! - Amigo Pimpão, é verdade que existe mesmo o Saci Pererê? - Claro que não, Uga-Uga! São lendas criadas pelo povo. - Mas eu ouvi dizer que o Saci existe sim, e que tem só uma perna, usa um gorro vermelho e até fuma cachimbo! - Não são histórias verdadeiras, mas são bonitas, culturais e muito interessantes. Vou comprar um livro especial do folclore para você! Por exemplo, também existe a história da Mula Sem Cabeça que galopa sem parar e ainda lança fogo pelas ventas! - Nossa, estou ficando com medo! E se eles aparecerem por aqui? Vamos sair correndo ou fazer novas amizades? - Claro que tentaremos conversar para sermos amigos! Mas como eu havia dito, não se preocupe porque eles não irão aparecer nunca! - Então, quem é aquele moço correndo com os pés para trás? - Nossa, é o Curupira! - Mas, Pimpão, você não disse que eles não existem? - É, Uga-Uga, eu falei, mas acho que estava errado! - E aquele negrinho pulando com um pé só, parece o Saci Pererê! - É ele mesmo! Vamos embora daqui! Esse lugar está ficando estranho! - Mas, Pimpão, você disse para fazermos amizade com eles! - É, Uga-Uga, eu falei, mas vamos deixar para outro dia, pois já está ficando tarde e agora vamos correr....
Postado por Raylene Rêgo às 15:09

O Pato Holandês e Seus Amigos
Arte: Rogério Doki/UOL

Bem distante, em uma linda selva, viviam alguns animais ferozes e outros bem mansos. Da Onça e da Cobra não dava nem para chegar perto, mas o Pato Holandês e o Macaco João eram alegres, amigos e estavam sempre conversando! - Não entendo, a Pantera sempre se arruma para sair e nunca sabe aonde ir. Mesmo assim vou dar a ela de presente de aniversário uma bolsa nova! O que acha, Macaco João? - É uma boa idéia, amigo Pato Holandês, talvez assim ela encontre um bom lugar para passear. Ahaha! E a sua vizinha, Girafa, continua sabendo tudo que acontece na sua casa? - Sim, ela é tão alta, nem consigo me esconder, pois sempre ela me acha. Mas o mais difícil é não dormir direito quando a Arara e os Passarinhos resolvem cantar de madrugada! Você já ouviu? - Já ouvi algumas vezes! Mas será que eles não sabem que é proibido fazer barulho depois das 10 horas da noite? - Acho que não, mas vou avisá-los! Ontem eu até ouvi a Hiena dando risada quando o sol estava nascendo. - É mesmo, amigo? Essa selva é divertida e cheia de histórias diferentes. Você já viu o Elefante jogando bola com o Gorila Japonês? Ahahah! - AhAh! Ainda não, João! Mas deve ser muito engraçado os dois gordos tentando correr atrás da bola! - Ahaha! É realmente uma piada, ahah! A nossa conversa está ótima, mas está chegando a hora do almoço, vou sair pulando de galho em galho e pegar algumas bananas, você quer vir comigo? - Agora não vai dar, pois estou com muito calor e irei até o rio para nadar um pouco! Tchau, querido amigo, até amanhã!! - Tchau, amigo Pato Holandês, divirta-se muito!
Postado por Raylene Rêgo às 15:05


Noções básicas sobre as cobras

Existem 2.700 espécies conhecidas de cobras e todos esses répteis compartilham das mesmas Características:
Têm corpos finos, lineares e sem membros;
São carnívoros; têm sangue frio (são ectotérmicos), o que significa que sua temperatura interna varia com a temperatura do ambiente.

Há uma boa razão para as cobras parecem lagartos sem pernas: ambos constituem a ordem Squamata, que é dividida nas subordens Sauria para os lagartos e Ophidia para as cobras.

Audição - embora as cobras não tenham orelhas, as ondas de som provenientes do ar atingem sua pele e são transferidas dos músculos para o osso. Quando o som atinge o osso do ouvido sob o crânio, envia vibrações para o ouvido interno, sendo o som processado pelo cérebro;

Visão - as cobras não vêem cores, mas seus olhos têm uma combinação de receptores luminosos: bastonetes que provêm uma visão fraca porém indistinta de luz e cones que produzem imagens claras. A complexidade dos olhos varia entre as espécies devido aos seus diferentes estilos de vida.

As cobras que vivem primordialmente em locais subterrâneos, por exemplo, têm olhos menores que processam somente claro e escuro, mas cobras que vivem acima do solo e usam a visão para caçar têm visão cristalina e uma boa percepção de profundidade.


Olfato - como os humanos, as cobras inspiram os odores que há no ar para dentro das aberturas nasais e os levam para uma câmara olfatória onde é feito o processamento; ainda assim, as cobras têm um sistema secundário. Quando uma cobra vibra sua língua, ela está juntando partículas de odor, que são transferidas para duas bolsas cheias de fluido no céu da boca, os órgãos de Jacobson, e depois para uma segunda câmara olfatória menor. As cobras não têm o sentido do paladar.

Cobras de duas cabeças
As cobras de duas cabeças se parecem menos com os assustadores monstros cheios de cabeças da mitologia e mais com gêmeos siameses. Dentro da cobra mãe, um embrião começa a dividir-se para criar gêmeos idênticos, mas o processo não é finalizado, deixando parte da cobra dividida e as outras partes ligadas. Raramente sobrevivem em um ambiente selvagem.
Com duas cabeças, os sentidos ficam duplicados: quando elas percebem a presa, as cabeças disputam para ver quem vai comê-la. Para piorar as coisas, se uma cabeça sentir cheiro de comida na outra, tentará comer a outra cabeça.
Postado por Raylene Rêgo às 08:48

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu Recadinho


Glitter Text @ Glitterfy.com

UOL Notícias





Declaração Universal dos Direitos Humanos