quinta-feira, 24 de julho de 2008

Reforço escolar: Por que existe?



Reforço escolar

Raylene Rego Braz Andrade Oliveira. Pedagoga pela FFPP-UPE. Especialista em Interdisciplinaridade na Educação Básica e Magistério Superior, pelo IBPEX-FACINTER.Consultora pedagógica e Orientadora Educacional do CEJA, Juazeiro Ba.
raylenerego@hotmail.com

Como educadores sabemos que somos seres individuais, com ritmos próprios, características próprias, idéias, criatividade, imaginação, enfim, pensamentos próprios. Portanto, em todo e qualquer ambiente educativo o auxílio aos aprendizes é importantíssimo, independente de dificuldades reveladas.
Em se tratando do reforço escolar, que muitas vezes é compreendido como apoio aos alunos com déficit ou dificuldades de aprendizagem, não deve acontecer apenas em situações dessa natureza e sim ser estendido às outras crianças, procurando fornecer mais desafios para aqueles que vem demonstrando bons avanços e bons êxitos.
É interessante, no processo de realização do reforço escolar, o envolvimento de todos, onde até mesmo os alunos com desempenho destaque, possam estar ajudando os demais sob orientação do professor.
Um dos primeiros passos para se iniciar um reforço escolar é identificar o que realmente necessita ser trabalhado, o que o aluno precisa, o que não foi alcançado no processo de interação ensino-aprendizagem. O objetivo do(s) momento(s) deve ser claro e a concepção de avaliação também.
As crianças e todos os seres humanos devem ser considerados como um todo; ou seja, as suas condições internas e externas devem ser integradas e compreendidas de maneira global: aspectos emocionais, familiares, sociais e a maturidade cronológica, são determinantes diante do processo de descobertas e possibilitam situações que permitem o resgate da aprendizagem de maneira significativa e atraente.
Toda criança tem possibilidades de aprender e quando não está aprendendo, é sinal de que algo de errado precisa ser revisto. Por isso, é importante, oferecê-la um ambiente estimulador e desafiador, que favoreça a aprendizagem, desperte a auto-estima e a confiança em si mesma. Vale ressaltar, que uma criança com dificuldade de aprendizagem não é uma criança portadora de necessidades especiais, mas sim, uma criança que requer uma forma diferente para aprender. Os métodos convencionais não atendem a sua necessidade básica. E como existem as diferenças intra-individuais, essas devem ser respeitadas. Atendendo ao critério da inclusão.
Em suma, o reforço escolar existe, porque existe dificuldade de aprendizagem; a dificuldade de aprendizagem existe, porque existe a dificuldade de ensino e assim todos os envolvidos devem assumir a função de contribuintes: criança, pais, professores e orientadores.
Referências
PIAGET, Jean. O nascimento da inteligência na criança. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1971.
COTRIM, Gilberto Vieira. Fundamentos da educação: história e filosofia da educação. 10 ed. São Paulo:Saraiva, 1985.ue

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu Recadinho


Glitter Text @ Glitterfy.com

UOL Notícias





Declaração Universal dos Direitos Humanos