segunda-feira, 1 de março de 2010

Contos Populares e Histórias Clássicas

Fonte: Contos Populares Ilustrados: A Menina dos Brincos de Ouro - © Copyright 2000-2009 http://www.sitededicas.com.br

O Menino o Burro
e o Cachorro



Um menino foi buscar lenha na floresta com seu burrico e levou junto seu cachorro de estimação.
xxxx
Chegando no meio da mata, o menino juntou um grande feixe de lenha, olhou para o burro, e exclamou:
xxxx
- Vou colocar uma carga de lenha de lascar nesse burro!
xxxx
Então o Jumento virou-se para ele e respondeu:
xxxx
- É Claro, não é você quem vai levar!
xxxx
O Menino muito admirado com o fato de ter o burro falado, correu e foi direto contar tudo ao seu pai. Ao chegar em casa, quase sem fôlego, ele disse:
xxxx
- Pai, eu estava na mata juntando lenha, e depois de preparar uma carga para trazer, quando eu disse que ia colocá-la na garupa do burro, acredite se quiser, ele se virou para mim e disse: "É Claro, não é você quem vai levar!"



O Pai do menino, olhou-o de cima para baixo, e meio desconfiado o repreendeu:
xxxx
Você está dando para mentir agora. Onde já se viu tal absurdo, animais não falam!
xxxx
Nesse momento, o cachorro que estava ali presente, saiu em defesa do garoto e falou:
xxxx
Foi verdade, eu também estava lá e vi tudinho!
xxxx
Assustado o pobre camponês, julgando que o animal estivesse endiabrado, pegou um machado que estava encostado na parede e o ergueu para ameaçá-lo.
xxxx
Nesse momento, aconteceu algo ainda mais curioso. O machado começou a tremer em suas mãos, e de dentro dele saiu uma voz que soava temerosa:
xxxx
O senhor tenha cuidado, esse cachorro pode me morder!
xxxx
Nota:
Conto popular no Nordeste sendo de origem desconhecida.


O Menino e o Padre



Um padre andava pelo sertão, e como estava com muita sede, aproximou-se duma cabana e chamou por alguém de dentro.
xxxx
Veio então lhe atender um menino muito mirrado.
xxxx
- Bom dia meu filho, você não tem por aí uma aguinha aqui pro padre?
xxxx
- Água tem não senhor, aqui só tem um pote cheio de garapa de açúcar! Se o senhor quiser... - disse o menino.
xxxx
- Serve, vá buscar. - pediu-lhe o padre.
xxxx
E o menino trouxe a garapa dentro de uma cabaça. O padre bebeu bastante e o menino ofereceu mais. Meio desconfiado, mas como estava com muita sede o padre aceitou.
xxxx
Depois de beber, o padre curioso perguntou ao menino:
xxxx
- Me diga uma coisa, sua mãe não vai brigar com você por causa dessa garapa?


- Briga não senhor. Ela não quer mais essa garapa, porque tinha uma barata morta dentro do pote.
xxxx
Surpreso e revoltado, o padre atira a cabaça no chão e esta se quebra em mil pedaços. E furioso ele exclama.
xxxx
- Moleque danado, por que não me avisou antes?
xxxx
O menino olhou desesperado para o padre, e então disse em tom de lamento:
xxxx
- Agora sim eu vou levar uma surra das grandes; o senhor acaba de quebrar a cabacinha de vovó fazer xixi dentro!
xxxx
---
A Menina dos Brincos de Ouro
Uma Mãe, que era muito má (severa e rude) para os filhos, deu de presente a sua filhinha um par de brincos de ouro.
Nota:
Conto regional do nordeste, muito conhecido em quase todas as cidades do interior, de Pernambuco ao Maranhão. Origem desconhecida.

Importante!
Essa história não sei o autor, uma colega nossa Silvana Nunes foi fazer um comentário no
Blog e sem querer colou essa história no comentário... como achei lindinha e divertida
resolvi postar para todos vcs.
Aproveite para conhecer um dos blogs da Silvana Nunes!
http://blogdasilnunes.blogspot.com/


Histórias e Contos

A Bonequinha Preta
Fonte: www.feijo.com

Era uma vez uma bonequinha pretaBonequinha preta, que morava em uma linda Casinha com MariazinhaMariazinha. As duas brincavam o tempo todo, e até dormiam juntas quando estavam cansadas.

PalhaçoPetecaPiãoPetecaPiãoPetecaPiãoPalhaço

Todos os outros brinquedos dormiam em outros lugares, pois Mariazinha Mariazinhaqueria sempre a sua Bonequinha pretajunto. Mas, o que ela não sabia, era que as bonequinhas não dormem como as meninas, aquele tempo todo, sem ver o mundo aqui fora. Eram diferentes das meninas e meninos de verdade em muitas coisas.

Mesmo assim, Mariazinhaensinava à sua bonequinha preferida Bonequinha pretatudo o que aprendia com a mamãe: tomar banho, escovar os dentes, trocar roupas limpas, e tudo mais.

Naquele dia, quando foi dormir um pouquinho depois do almoço, explicou direitinho à bonequinha pretaBonequinha pretaque ela não deveria subir sozinha na janela:

Mariazinha- A janela é muito perigosa! A criança pode cair lá fora e nunca mais voltar para casa. Papai disse que precisa ter gente grande perto sempre que a gente quiser ir à janela.

Mariazinha Mariazinhaviu que a Bonequinha pretaentendeu tudo muito bem, como sempre. Então dormiu sossegada...

A bonequinha preta Bonequinha pretatambém começou a dormir mas, ... uma voz diferente, forte e interessante entrava pela janela trazendo uma novidade que ela não conhecia:

MúsicaMúsicaMúsica- Verdureiro, verdureiro! MúsicaMúsicaMúsica

O que será isso, pensou a Bonequinha preta. Mariazinha Mariazinha, que sempre sabia tudo, estava dormindo e não podia contar nada sobre verdureiros, que deviam ser seres novos e sensacionais! Ela precisava ver!

Talvez seja isto: Homem verde um cara todo verde!

Ou quem sabe isto: Caçador alguém saindo assim do verde.

Também podia ser um destes: Lavrador nunca tinha visto um.

MúsicaMúsicaMúsica- Verdureiro, verdureiro! MúsicaMúsicaMúsica

Ir ou não ir só um pouquinho na janela? A dúvida passou rapidinho e logo ela já estava lá, tentando olhar tudo. Ela não queria cair, mas estava difícil ver. Subiu só mais um tantinho e tibum!caiu lá embaixo!

Por sorte, o verdureiro estava passando bem na hora, e a Bonequinha pretacaiu em cima das verduras fofinhas de seu grande cesto. Ela era tão levinha que ele nem percebeu e continuou andando pelas calçadas com seu canto:

MúsicaMúsicaMúsica- Verdureiro, verdureiro! MúsicaMúsicaMúsica

Passou por várias ruas onde a bonequinha preta Bonequinha pretanunca tinha ido, cada vez mais longe...

Então o verdureiro decidiu voltar para casa, pois já era tarde. Entrou pela garagem escura, sem ver a bonequinha pretaassustada que estava ali. E subiu as escadas para chegar em casa, largando o cesto no chão.

Porta assombrada

A bonequinha preta Bonequinha pretacomeçou a chorar, de tanto medo que estava daquele lugar estranho e escuro. Cair da janela assim tinha sido uma grande besteira, e Mariazinhanão ia gostar nada de ter sido desobedecida. Então chorou e chorou mais ainda, sem nenhum consolo...

Nenhum?

Um gatinho Gatinho que ia passando por ali ouviu aquele choro tão doído e ficou com muita pena da Bonequinha preta. Tentou fazer gracinhas para ela sorrir, mas não deu certo.

Gatinho - Então, o que posso fazer por você?

Bonequinha preta - Não sei, eu fui olhar só um pouquinho na janela, semMariazinhasaber. Ela disse para eu não ir sozinha, e agora perdi minha linda Casinha!

Gatinho - Talvez eu possa ajudar. Os gatos passeiam pela noite, e se você me contar como é sua casa, talvez eu a encontre.

Bonequinha preta - É uma linda Casinha branca, com janelas azuis, e uma Mariazinhadentro, que deve estar muito triste agora.

E assim, o Gatinho saiu pelas ruas à noite, procurando a casa certa. Procurou, procurou e...

Encontrou aquela linda Casinha branca, com janelas azuis, e uma linda Mariazinha que chorava muito.

Gatinho-Vamos lá buscar sua bonequinha preta Bonequinha pretaque caiu no cesto do verdureiro!

E lá foram os dois.

Quando chegaram, foi aquele abraço! Toda a choradeira passou e as duas se prometeram nunca mais se separar. Voltaram juntas para casa mas, na hora de se despedir do Gatinho, ficaram com tanta pena, que o convidaram a morar com elas na linda Casinha. Ele gostou muito da idéia.

Assim, a história acaba com todos felizes, merecendo no fim um ponto de alegria bem grandeExclama&ccedil:ão

MariazinhaBonequinha pretaGatinho

FIM

Escolha um outro tema clicando aqui:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu Recadinho


Glitter Text @ Glitterfy.com

UOL Notícias





Declaração Universal dos Direitos Humanos