domingo, 7 de fevereiro de 2016

Parábolas


Parábola é uma pequena narrativa que usa alegorias para transmitir uma lição moral. As parábolas são muito comuns na literatura oriental e consistem em histórias que pretendem trazer algum ensinamento de vida. Possuem simbolismo, onde cada elemento da história tem um significado específico.
As parábolas são apresentadas no Antigo Testamento da Bíblia II Samuel 12: e Isaías 5:1-7 , nas literaturas rabínicas e no Novo Testamento.
 
Jesus utiliza-se das parábolas para transmitir ensinamentos profundos. A despeito disso, a maioria delas sempre é marcada pela simplicidade e brevidade. Poucas delas são longas, como acontece com a Parábola dos Talentos (Mateus 25:14-30) ou a Parábola do Filho Pródigo (Lucas 11:32).


De acordo com o dicionário bíblico universal, Bucklan & Williams (2007, p.446):

“Parábola é uma narrativa imaginária ou verdadeira que se apresenta com o fim de ensinar uma verdade. Difere do provérbio porque sua apresentação não é tão concentrada como a daquele; contém mais pormenores, exigindo menor esforço mental para ser compreendida. Difere da alegoria, porque esta personifica atributos e as próprias qualidades, ao passo que a parábola nos faz ver as pessoas na sua maneira de proceder e viver, também difere da fábula, visto que a parábola se limita ao que é humano e possível.”
 
 Segundo George Eldon Ladd (2003, p.126) “uma parábola é uma estória extraída da vida diária, com a finalidade de comunicar uma verdade de cunho moral ou religioso”.

segundo Joachim Jeremias (2007, p. 15):

“As parábolas de Jesus não são - em todo caso não primariamente – obras de arte, nem querem inculcar somente princípios gerais, mas cada uma delas foi pronunciada numa situação concreta da vida de Jesus, situação única e muitas vezes imprevista. Muitas vezes, e até mesmo no mais das vezes, trata-se aí, como veremos, de situações de conflito, de justificação, de defesa, de ataque e até mesmo de desafio: as parábolas são, não exclusivamente, mas em grande parte armas de luta. Cada uma delas exige uma resposta concreta e imediata.”      

O Sermão da Montanha

 

O Ministério na Galileia

 
 
As parábolas a seguir são conhecidas como Discurso das Parábolas:

No Caminho de Jerusalém

O Ministério na Judeia

O Ministério final em Jerusalém

Os discursos no Evangelho de João

O ensino de Jesus no quarto Evangelho apresenta-se em discursos e diálogos que, mesmo assim, empregam a linguagem figurada parabólica.

No site do palestrante Tom Coelho encontramos muitas sugestões de parábolas:
http://www.tomcoelho.com.br/index.aspx/s/Parabolas_Listar

Clique AQUI para enviar sua parábola.  

Outras Referências Bibliográficas
 
BÍBLIA SAGRADA. Almeida Revista e Atualizada. São Paulo: Sociedade Bíblica do Brasil, 2009.
BUCKLAND, A. R.; WILLIAMS, L. Dicionário Bíblico Universal. São Paulo: Editora Vida, 2007.
COLEMAN, W. L. Manual dos tempos e costumes bíblicos. Belo Horizonte: Editora Betânia, 1991.
DANIEL-ROPS, Henri. A vida diária nos tempos de Jesus. São Paulo: Vida Nova, 2008.
FEE, Gordon; STUART, Douglas. Entendes o que lês? São Paulo: Vida Nova, 1997.
FRANCE, R. T. “Como ler os evangelhos”. Em Comentário bíblico: Vida Nova. Eds. Carson, D. A.; France, R.T.; Motyer, J.A.; Wenham, G.J., p. 1346-1356. São Paulo: Vida Nova, 2009.
JEREMIAS, Joachim. As parábolas de Jesus. São Paulo: Paulus, 2007.
KAISER, Walter C.; SILVA, Moisés. Introdução à hermenêutica: como ouvir a palavra de Deus apesar dos ruídos de nossa época. São Paulo: Cultura Cristã, 2009.
LADD, George Eldon. Teologia do Novo Testamento. São Paulo: Hagnos, 2003.
MARSHALL, I. H. “Lucas”. Em Comentário bíblico: Vida Nova. Eds. Carson, D. A.; France, R.T.; Motyer, J.A.; Wenham, G.J., p. 1472-1535. São Paulo: Vida Nova, 2009.
OSBORNE, Grant. A Espiral hermenêutica. São Paulo: Vida Nova, 2009.
RYLE, J. C. Meditações no evangelho de Lucas. São Paulo: Editora Fiel, 2002.
TENNEY, M. C. O novo testamento sua origem e análise. São Paulo: Shedd Publicações, 2008.
TENNEY, M. C. Tempos do Novo Testamento. Rio de Janeiro: Casa Publicadora das Assembleias de Deus (CPAD), 2010.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu Recadinho


Glitter Text @ Glitterfy.com

UOL Notícias





Declaração Universal dos Direitos Humanos