sexta-feira, 4 de março de 2016

Fábulas de Esopo

Esopo foi um escritor da Grécia Antiga a quem são atribuídas várias fábulas populares. A ele se atribui a paternidade das fábulas como gênero literário.
As fábulas de Esopo são uma coleção de fábulas creditadas a Esopo, um escravo e contador de histórias que viveu na Grécia Antiga.
  • Esopo foi um escritor da Grécia Antiga a quem são atribuídas várias fábulas populares. A ele se atribui a paternidade das fábulas como gênero literário.
  • Resultado de imagem para que foi esopoResultado de imagem para que foi esopoResultado de imagem para que foi esopo
  • Pesquisas relacionadas

  •  
    Fábula - O Pastor e o Leão
    Frequentemente, induzidos pelas aparências das coisas, acabamos por desejar um suposto benefício, que, na verdade, logo irá se revelar como uma grande e equivocada fantasia...
    O Leão e o Lobo
    Cabe ao hipócrita justificar sempre os seus atos como válidos, até como uma forma de autenticar sua postura, como um padrão de comportamento digno de ser imitado.

    O Cachorro e o seu Reflexo
    Para a maioria dos indivíduos, o não contentar-se com aquilo que já se possui é uma ideia fixa. Será que também consideram os efeitos colaterais dessa postura?


    O Filhote de Cervo e sua Mãe
    Para a maioria das pessoas é mais cômodo conviver com seus medos e fraquezas, mesmo sabendo que são capazes superar cada uma dessas coisas.
    O Cão Raivoso
    Em nossos dias, na busca por notoriedade e fama qualquer coisa é válida. Mas, poderia ser essa visibilidade de ocasião um sinal de superioridade?
    O Asno, a Raposa e o Leão
    O falso amigo convive apenas para tirar algum proveito do outro. Para obter êxito, usará da mentira e da deslealdade. Não respeitará nem aqueles que chama de aliados.

     

    O Cavalo e o seu Cuidador
    Há em nossos dias a ideia de que apenas as palavras são capazes de atestar o caráter de um indivíduo. E disso se valem os hipócritas e enganadores de incautos.
    O Galo e a Pedra Preciosa
    Qual seria a medida capaz de definir para nós o valor de cada coisa existente em nosso mundo? Seria sua real utilidade, ou simplesmente seu valor simbólico?
    O Morcego e a Doninha
    Diante de um problema é comum o embaraço do protagonista, e isso ocorre, na maioria das vezes, pela falta da inteligência necessária à solução daquele contratempo.


    Os Viajantes e a Árvore
    Para alguns, parece que o mundo é um imenso parque de diversões, onde tudo que existe é para serví-los. Talvez, por isso mesmo, não seja tão comum, ainda hoje, a prática do exercício da gratidão...
     
     
     
     

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário

    Deixe seu Recadinho


    Glitter Text @ Glitterfy.com

    UOL Notícias





    Declaração Universal dos Direitos Humanos